Notícia

Nova norma da ANS relativa à junta médica ou odontológica

Postado em 28/06/2017 Por Province Saúde

Em casos de divergências entre a operadora de plano de saúde e o profissional de saúde que assiste ao beneficiário quanto à indicação de realização de um determinado procedimento ou da utilização de tipos específicos de órteses, próteses ou outros materia

A ANS publicou a Resolução Normativa nº 424/2017, prevista para entrar em vigor em 60 dias, para regulamentar e definir critérios para os procedimentos que necessitem de JUNTA MÉDICA ou ODONTOLÓGICA, com o foco maior na garantia da melhor conduta clínica para o beneficiário, dentro dos prazos de atendimento preconizados pela ANS.
Na nova norma são definidos:
• casos em que deve ou não ser formada a junta médica ou odontológica,
• especifica a qualificação dos profissionais envolvidos,
• determina as formas de notificação, prazos e formas de resposta,
• direitos e deveres de beneficiários, profissionais assistentes e operadoras.
Dentre as principais regras definidas na norma destaca-se:
• Formação da JUNTA realizada nas modalidades presencial ou à distância: PO 03 profissionais - assistente, da operadora e um desempatador, em comum acordo com o médico assistente e médico/cirurgião dentista da operadora;
• O profissional assistente deverá determinar as características, pelo menos, três marcas de produtos de fabricantes diferentes das órteses, próteses e materiais especiais (OPME) necessários à realização do procedimento.
• O tempo para realização do procedimento não poderá ultrapassar os prazos máximos da garantia de atendimento definidos na Resolução Normativa nº 259/2011.
• As operadoras deverão notificar o beneficiário a respeito da necessidade de formação de junta médica ou odontológica e que elas também deverão registrar, armazenar e disponibilizar à ANS, quando requisitadas, as informações e os dados relacionados às juntas médicas ou odontológicas realizadas.
• Não haverá obrigatoriedade de formação de Junta Médica/Odontológica para os casos de urgência ou emergência; procedimentos não previstos no Rol de Procedimentos e Eventos em Saúde e/ou no contrato; e indicação de OPME ou medicamento sem registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), ou para uso não constante no manual, instrução de uso ou bula (off label)

Fonte: ANS

Fonte: ANS


Voltar

Agenda


Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sáb
Dom

Receba nossa Newsletter

Mantenha-se informado sobre as notícias mais interessantes do nosso meio, assim como as novidades e agendamentos de cursos e palestras da Province Saúde.


Outras Notícias

Cartilha detalha cobrança do ressarcimento ao SUS

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) elaborou uma cartilha quanto ao fluxo de trabalho desenvolvido pelo setor de recolhimento do ressarcimento ao Sistema Único de Saúde (SUS).
Saiba mais

Grupo de Trabalho estuda as alterações na RN277/2011 na ANS que trata da Acreditação de Operadoras

A ANS convocou várias entidades do setor de saúde suplementar para participar do Grupo de Trabalho GT para revisar a RN 277/2011 que trata da Acreditação de Operadoras
Saiba mais

UNIDAS está buscando Empresas para compor as equipes de Avaliação do Programa UNIPLUS

O UNIPLUS – Programa de Qualificação dos Prestadores de Serviços de Saúde foi criado com o objetivo de avaliar e monitorar a qualidade assistencial e o desempenho de hospitais e clínicas em todo o Brasil.
Saiba mais

ANS quer estimular participação do paciente, promovendo melhoria do cuidado em saúde

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) quer estimular uma maior participação do paciente nas decisões relacionadas à saúde, contribuindo, assim, para qualificar o cuidado e tornar o usuário mais consciente sobre suas necessidades.
Saiba mais